terça-feira, junho 25, 2024
Desta semanaEconomia

Mais de R$ 7 bilhões ainda estão esquecidos em bancos

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

São quase 42 mil pessoas que ainda não resgataram recursos deixados no sistema financeiro brasileiro 

De acordo com o Banco Central (BC), até agosto deste ano, R$ 7,41 bilhões em recursos ainda estavam esquecidos no sistema financeiro brasileiro. Os dados são do Sistema de Valores a Receber (SVR), serviço do BC que permite pessoas, empresas consultarem se eles mesmos ou pessoa falecida têm dinheiro esquecido em algum banco, consórcio ou outra instituição e, caso tenha, saber como solicitar o valor.

Segundo dados divulgados na última sexta-feira (6), até o momento, o SVR devolveu R$ 4,87 bilhões, de um total de R$ 12,28 bilhões postos à disposição pelas instituições financeiras. Entre os que já retiraram valores, 15.385.316 são pessoas físicas e 681.406, pessoas jurídicas. Entre os que ainda não fizeram o resgate, 38.097.190 são pessoas físicas e 2.936.772, pessoas jurídicas.

A maior parte das pessoas e empresas que ainda não fizeram o saque têm direito a pequenas quantias. Os valores a receber de até R$ 10 concentram 63,04% dos beneficiários. Os valores entre R$ 10,01 e R$ 100 correspondem a 25,12% dos correntistas. As quantias entre R$ 100,01 e R$ 1 mil representam 10,08% dos clientes. Só 1,76% têm direito a receber mais de R$ 1 mil.

Novidades

Sistema de Valores a Receber  oferece agora algumas novas funcionalidades, como a possibilidade de impressão de telas e de protocolos de solicitação para compartilhamento no WhatsApp e inclusão de todos os tipos de valores previstos na norma do SVR. Além disso, está prevista uma sala de espera virtual, que permite que todos os usuários façam a consulta no mesmo dia, sem a necessidade de um cronograma por ano de nascimento ou de fundação da empresa.

Em relação a pessoas já falecidas, o sistema permite a consulta de valores por herdeiro, testamentário, inventariante ou representante legal. Assim como nas consultas a pessoas vivas, o sistema informa a instituição responsável pelo valor e a faixa de valor. 

Outro ponto é a transparência para quem tem conta conjunta. Caso um dos titulares peça o resgate de um valor esquecido, o outro, ao entrar no sistema, conseguirá ver as informações: como valor, data e CPF de quem fez o pedido.

Fontes 

De acordo com o BC, foram incluídas fontes de recursos esquecidos que não estavam nos lotes do ano passado. Constam agora contas de pagamento pré ou pós-paga encerradas, contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras encerradas e outros recursos disponíveis nas instituições para devolução.

Além dessas fontes, o sistema engloba os seguintes valores para saques: contas-corrente ou poupança encerradas; cotas de capital e rateio de sobras líquidas de ex-participantesde cooperativas de crédito; recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados; tarifas cobradas indevidamente; e parcelas ou despesas de operações de crédito cobradas indevidamente.

Alerta

O Banco Central aconselha o correntista a ter cuidado com golpes de estelionatários que alegam fazer a intermediação para supostos resgates de valores esquecidos. O órgão ressalta que todos os serviços do Valores a Receber são totalmente gratuitos, que não envia links nem entra em contato para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais.