terça-feira, abril 23, 2024
Desta semanaSaúde

Exercícios são fundamentais para saúde endócrina

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Atividade física vai além do estético, é um compromisso com a qualidade de vida, aponta especialista

Nos últimos anos, a atividade física se tornou coadjuvante e entrou no pilar da prevenção e manutenção da saúde, incluindo o sistema endocrinológico, responsável pela produção e regulação de hormônios e que desempenha um papel vital na manutenção do equilíbrio do corpo e mente.

Ao praticar exercício físico, o corpo libera endorfinas, substâncias químicas que atuam como analgésicos naturais e promovem uma sensação de bem-estar. Essa resposta hormonal positiva não apenas contribui para o alívio do estresse, mas também influencia diretamente a regulação hormonal.

Diabetes – Dados da Federação Internacional do Diabetes (IDF) apontam que o Brasil ocupa o 6º lugar entre os 10 principais países com adultos (20 a 79 anos) com diabetes em 2021 (e nas projeções para 2045); somos o 3º país com maior prevalência de diabetes tipo 1 (92.300 pessoas), em pessoas abaixo dos 20 anos de idade, atrás apenas da Índia e Estados Unidos. A endocrinologista Dra. Lorena Lima Amato explica que a prática regular de atividades físicas melhora a metabolização da glicose.

Obesidade – Está ligada a disfunções endócrinas, incluindo resistência à insulina e desregulação hormonal. A atividade física não só auxilia na perda de peso, mas também atua como um mecanismo de prevenção, reduzindo os fatores de risco associados à obesidade.

Segundo a World Obesity Federation, a estimativa é de que um bilhão de pessoas em todo o mundo – incluindo 1 em cada 5 mulheres e 1 em cada 7 homens – viverão com obesidade até 2030.

Menopausa – A atividade física é uma grande aliada para minimizar os sintomas da menopausa e contribui para o controle de peso e metabolismo, que tendem a ficar prejudicados nessa fase de vida da mulher. Além disso, exercício físicos regulares no climatério e menopausa contribuem para o fortalecimento ósseo, para a melhora do humor, na redução do estresse e na saúde do coração, já que as mudanças hormonais na menopausa estão relacionadas a um aumento do risco cardiovascular.

Osteoporose – A musculação é muito importante para prevenir osteoporose, pois músculos fortes dão mais sustentação aos ossos. Caso a musculação não seja a prática favorita, a dica é intercalá-la com algum exercício que a pessoa considere prazeroso.

A especialista explica que a osteoporose é caracterizada por perda de massa e deterioração de qualidade óssea conforme vamos envelhecendo. De acordo com o IBGE, o número de pessoas com 65 anos ou mais de idade cresceu 57,4% em 12 anos. No Brasil, a projeção de expectativa de vida em 2025 é de 82,1 anos”, conta Dra. Lorena.

“Diante desse panorama, incentivar a prática regular de exercícios torna-se uma responsabilidade coletiva. Os benefícios vão além da estética. Atividade física é sinônimo de saúde e qualidade de vida”, finaliza Dra. Lorena.