Projeto de qualificação profissional forma mais de 800 pessoas

Foto: Acácio Pinheiro – Agência Brasília

Programa certificou centenas de pessoas que estavam fora do mercado de trabalho. Intenção é formar mais 2.500 pessoas até o fim deste ano.

Quase dois anos após a chegada da pandemia ocasionada pelo novo coronavírus, vários setores da economia ainda sentem os reflexos das medidas de isolamento, como o fechamento dos postos de trabalho. Embora esteja em recuperação, o número de pessoas desocupadas no DF ainda é alto, o que demanda ações governamentais para reverter as estatísticas.

Segundo dados da Codeplan, divulgados no último dia 30 de agosto, atualmente 18,2% da população do Distrito Federal está desempregada, taxa menor que a registrada anteriormente: 19,2%. Com base em levantamentos como este, o governo pode traçar estratégias para que haja políticas de promoção de emprego e renda.

Uma das ações, o Renova-DF, formou, na última semana, cerca de 800 alunos que além de adquirirem capacitação profissional, ajudaram na revitalização de mais de 90 espaços públicos em Samambaia e Ceilândia.

Na sexta-feira (10), a primeira turma do programa recebeu os certificados no Ginásio do Sesi, em Taguatinga, das mãos do governador Ibaneis Rocha, que anunciou na ocasião o ingresso de mais 2,5 mil novos aprendizes.

Durante pouco mais de três meses, além dos conhecimentos teóricos, os alunos aprenderam na prática com execução de serviços em vários espaços públicos. Nesse período, o programa recuperou 92 equipamentos, desde parquinhos infantis até o estádio Rorizão, em Samambaia, além da movimentada Feira Central de Ceilândia.

De acordo com o governo, além dos formandos – entre brasileiros e estrangeiros -, a Secretaria de Trabalho vai convocar mais 2,5 mil alunos até o fim do ano. As novas turmas serão distribuídas em seis cidades. Ceilândia, novamente, terá a oportunidade de contar com o “exercício prático” dos aprendizes do Renova-DF. Outras duas regiões administrativas também já estão definidas: São Sebastião e Arniqueira. As outras serão divulgadas posteriormente.

Resultados

O desempenho dos participantes do programa chamou atenção de comunidade e de empresários que já manifestaram a intenção de contratar aprendizes já qualificados. De acordo com o GDF, a H2F Engenharia, empresa de manutenção predial, sinalizou a contratação de 20 profissionais entre os formandos do programa. “Como o governador Ibaneis Rocha falou, no pós-pandemia é o setor de construção civil que vai alavancar a economia. E o Renova-DF tem o que precisamos, que são pessoas capacitadas para atuar nas manutenções que fazemos”, explica o diretor de Engenharia da empresa, Fernando Marquês Teodoro.

Durante a passagem dos aprendizes por Samambaia, o administrador da cidade, Gustavo Aires, celebrou o empenho dos participantes. “Aqui em nossa cidade, o Renova-DF fez a diferença. Os alunos revitalizaram quadras e parquinhos que há anos não recebiam melhorias. Foi muito importante essa mão-de-obra para gente”, afirmou.

Programa

Alguns dos objetivos do Renova-DF são: capacitar profissionais, facilitar o ingresso no mercado de trabalho e reformar espaços públicos. Além do conhecimento teórico e prático, os participantes recebem salário mínimo, auxílio-transporte e seguro contra acidentes pessoais.

Os alunos devem ter frequência e aproveitamento igual ou acima de 80% para receber os auxílios e o certificado de conclusão de curso. Os que ficarem acima desse percentual poderão participar, gratuitamente, de qualquer outra formação oferecida pelo Senai-DF. Alunos analfabetos terão curso de alfabetização sem custos.

Os estudantes já foram selecionados e entregaram toda a documentação, portanto não há como se inscrever mais no Renova-DF. Participam pessoas com mais de 18 anos, moradores do DF, em situação de desemprego e natas, naturalizadas ou estrangeiras em situação regular no país.

O Renova-DF é uma parceria entre as secretarias de Trabalho, Governo e Transporte e Mobilidade, Novacap; companhias de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) e Energética de Brasília (CEB), Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF).

Com informações da Agência Brasília