sexta-feira, julho 19, 2024
Desta semanaSaúde

Quase 30 mil servidores atuam na saúde do DF

Força de trabalho que atua em UPAs atendeu quase meio milhão de pessoas no início de 2024

O Distrito Federal se destaca como a unidade da federação com a maior proporção de médicos por mil habitantes, conforme aponta o levantamento “Demografia Médica 2024”. Atualmente, 18.045 profissionais estão ativos, resultando em um índice impressionante de 6,31 médicos para cada mil habitantes. Em comparação, a média nacional é de apenas 2,81 médicos por mil brasileiros. 

Parte desses profissionais estão na Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), onde se juntam a outros especialistas totalizando quase 30 mil trabalhadores contratados. Entre eles estão 8.713 técnicos em enfermagem, 5.930 assistentes públicos de saúde, 4.161 médicos, 4.104 enfermeiros, além dos especialistas em saúde pública, vigilância ambiental e outras especialidades. 

O Governo do Distrito Federal (GDF) também tem se empenhado em expandir a equipe de saúde, com 1.685 novos servidores nomeados em 2023, um aumento significativo em relação aos 689 convocados em 2022. Em 2024, apenas nos primeiros seis meses, já foram nomeados 1.436 concursados. 

Quanto aos vencimentos, os médicos servidores da SES-DF têm salários que variam conforme a função, classe e carga horária, com valores que vão de R$ 6.327,00 para médicos de 20 horas na terceira classe a R$ 15.435,74 para servidores de 40 horas na classe especial. Além do salário base, os profissionais recebem diversas gratificações como: GIABS – Gratificação de Incentivo às Ações Básicas de Saúde; Gratificação de Movimentação; GCET – Gratificação por Condições Especiais de Trabalho; GT – Gratificação de Titulação; GAME – Gratificação de Atividade Médica Especial; GAM – Gratificação de Atividade Médica; entre outras, o que eleva os salários, por vezes, para além do dobro do salário base.

Atendimentos

Os números de atendimento refletem a alta demanda pelos serviços de saúde pública no DF. Segundo o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF), entre janeiro e maio de 2024, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) atenderam quase meio milhão de pessoas (468.479), representando um aumento de 36% em relação ao mesmo período de 2023, quando foram realizados 343.542 atendimentos. A média diária de atendimentos nas UPAs no início de 2024 foi de aproximadamente 3.082 pessoas. Além disso, a SES-DF realizou mais de cem mil cirurgias eletivas e de urgência do último ano para cá, com 20.527 pacientes atendidos apenas nos primeiros três meses de 2024.

Ouvidoria

Diante dos apontamentos de problemas na saúde o DFN buscou informações, na Ouvidoria do DF, sobre reclamações da população relativas aos serviços prestados na rede pública de assistência. 

De acordo com Relatório Anual da Ouvidoria, em 2023, a Ouvidoria da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) registrou um aumento significativo nas manifestações dos cidadãos, totalizando 62.773 ocorrências. Dentre as manifestações, as reclamações foram as mais numerosas, somando 48.504, um aumento notável em relação ao ano anterior (40.473). Os principais motivos de insatisfação incluíram dificuldades no agendamento de consultas e cirurgias, que somaram quase 13.000 reclamações, seguidos por queixas sobre o atendimento nas unidades básicas e hospitalares de saúde, somando mais de 12.000 registros. Além disso, problemas como a falta de medicamentos e falhas na fiscalização em vigilância sanitária também foram destacados entre os dez temas mais recorrentes. 

Segundo o relatório, as denúncias também registraram um aumento substancial, totalizando 1.198 em 2023, refletindo graves preocupações com a conduta dos profissionais de saúde, falta de medicamentos essenciais e condições inadequadas nas unidades de atendimento. Entre as denúncias, destacaram-se casos de negligência e comportamento inadequado de servidores, além de irregularidades administrativas. 

Todos os dados capitados pela ouvidoria são repassados aos departamentos competentesdo governo para análise e tomada de decisão.

Foto: Divulgacão/ICTDF