sábado, abril 13, 2024
Desta semanaEconomia

5G estará nas capitais até julho de 2022, diz ministro

foto: macrovector / freepik

Inovação na internet promete mudar todos os setores econômicos e também a vida da população brasileira. TCU aprovou, na semana passada, regras do leilão que deve acontecer no mês de outubro

Na última quarta-feira (25), o processo para implantação do 5G no Brasil avançou mais um importante passo. O Tribunal de Contas da União (TCU), aprovou as regras do leilão para a implantação da nova tecnologia. A previsão é de que o certame seja realizado em outubro deste ano.

A expectativa dos setores público e privado é que a nova rede automatize processos na indústria e na agricultura, facilite a telemedicina e mude a vida da população por meio da Internet das Coisas (IoT), que vai interligar aparelhos em casa e fora dela.

Segundo o governo federal, o leilão deve atrair cerca de R$ 40 bilhões em investimentos. Os vencedores do leilão também terão de se comprometer com a expansão da tecnologia 4G para todo o território nacional. Cerca de 2,5 mil comunidades indígenas e 48 mil quilômetros de rodovias federais também serão beneficiados.

De acordo com o Ministério das Comunicações, este é o maior leilão de radiofrequência da história das telecomunicações do país. O impacto desse processo se alastra no tempo e nos diversos setores da economia do Brasil, implicando em uma nova configuração dos meios produtivos. A mudança não se resume apenas à “um G a mais” na linha de aparelhos celulares: se a quarta geração foi essencial para conectar pessoas, a próxima geração será catalizadora de tecnologias totalmente novas.

O ministro Fábio Faria afirma que com a implantação do 5G no Brasil será possível ampliar significativamente a conexão entre pessoas. “Vamos levar conexão para 40 milhões de pessoas que hoje não têm qualquer acesso”, diz o ministro.

O edital prevê que as empresas vencedoras assumam o compromisso de levar internet para todas as áreas com mais de 600 habitantes. Além disso, o documento calcula a destinação de R$ 1,5 bilhão para o Programa Amazônia Integrada e Sustentável (PAIS), que irá conectar 10 milhões de pessoas na região Norte.

Sobre o cronograma de implantação do 5G, Fabio Faria mantém prazo já informado anteriormente: até julho de 2022 todas as 27 capitais brasileiras terão a cobertura da nova tecnologia. E até 2028, todas as cidades com mais de 30 mil habitantes serão beneficiadas.

Ainda de acordo com o Ministério das Comunicações, após o leilão, 72 mil das 85 mil escolas urbanas do país receberão o 5G standalone (SA) – e as demais terão atendimento por 4G. Na zona rural, a pasta já conectou, nos últimos dois anos, 10 mil escolas que não tinham acesso à banda larga. E o leilão levará cobertura de 4G para mais 7 mil escolas rurais. Todas as demais escolas rurais que possuem energia elétrica e a infraestrutura necessária (13,5 mil) receberão banda larga pelo Programa Wi-Fi Brasil, até julho de 2022.

Leilão

O governo explica que o certame envolve a licitação de quatro frequências para a implantação da nova tecnologia para redes móveis: 700 megahertz, 2,3 gigahertz, 3,5 gigahertz e 26 gigahertz. A Anatel dividiu as frequências em lotes nacionais e regionais. A maior parte dos valores definidos não será destinada aos cofres públicos, ou seja, este será um leilão “não arrecadatório”. A Anatel autorizará o uso das faixas, mediante cumprimento de determinadas obrigações, que incluem os investimentos em infraestrutura para ampliação da cobertura de sinal no país.

Entre as obrigações vinculadas ao leilão está a construção da rede privativa da Administração Pública Federal. A proposta consta no documento como referência à definição de valores para a implantação. Espera-se que órgão colegiado – no âmbito da Entidade Administradora da Faixa (EAF) de 3,5 GHz e em consulta a gestores públicos de serviços de segurança, defesa e de outras áreas de governo – revise o planejamento inicial e formate a versão final do projeto de implantação da rede.

Nova tecnologia

O 5G é a nova geração de sistemas celulares e arquitetura de rede que fornecerá conectividade de banda larga, ultra rápida, com baixa latência, e massiva para pessoas e coisas. A infraestrutura possibilitará a criação de novos serviços e casos de uso, muitos deles ainda desconhecidos.

Com um aparelho compatível ao 5G haverá um melhor tempo de processamento de downloads e uploads, uma maior velocidade na transferência de dados por segundo e uma economia de até 90% no consumo de energia dos aparelhos.