Brasiliense pode escolher imunizante contra covid

Foto: Breno Esaki – Agência Saúde

Medida veio para estimular a população que ainda não tomou a primeira dose ou dose única da vacina contra o coronavírus

Dados oficiais, divulgados pela Secretaria de Saúde (SES), dão conta de que do Distrito Federal tem uma população de 3.052.546 habitantes. Sendo que destes, 2.578.418 são pessoas, acima de 12 anos de idade, aptas para receberem a vacina contra a covid-19.

Mesmo com estoques suficientes para imunizar toda a população vacinável, a Secretaria de Saúde afirma que, até a última terça-feira (7), 230.831 pessoas ainda não tinham tomado a primeira dose ou a dose única da vacina contra o coronavírus.

Diante do quadro, a pasta tem se empenhado em desenvolver ações que estimulem a imunização dos brasilienses. Para encorajar o grupo que ainda não procurou os postos de vacinação para tomar a primeira dose ou dose única, a secretaria passou a oferecer a possibilidade da escolha do imunizante a ser aplicado. Saiba onde se vacinar aqui

A SES afirma que a decisão ocorre no momento em que a pasta possui mais de um milhão de doses das vacinas AstraZeneca, CoronaVac e Pfizer-BioNTech para aplicação da D1, segunda dose e dose de reforço.

“O nosso intuito é vacinar ao máximo a população para que a gente tenha uma cobertura vacinal destaque no Brasil”, afirmou o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache.

Nos últimos dias, o Distrito Federal recebeu imunizantes da AstraZeneca e Pfizer para primeira dose em adultos somados ao quantitativo de CoronaVac já existente na Rede de Frio Central. “O DF tem vacinas suficientes para atender a todos os grupos com primeira dose, segunda dose e dose de reforço. Portanto, pedimos à população que procure as nossas unidades de vacinação”, convoca o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

É importante ressaltar que que grávidas, puérperas e adolescentes de 12 a 17 devem obrigatoriamente receber a vacina da Pfizer-BioNTech, já que este imunizante é o único aprovado no Brasil para esses públicos.

Logística

De acordo com a chefe do Núcleo da Rede de Frio, Tereza Luiza Pereira, já foi definida a logística necessária para garantir o abastecimento dos pontos de vacinação, com diretrizes para minimizar as perdas técnicas. “A gente tem que ter um planejamento muito bem estruturado para não perder a vacina no posto”, explica.

Tereza esclarece, ainda, que um frasco de vacinas da Pfizer-BioNTech, após aberto, deve ter suas seis doses utilizadas em até seis horas. No caso da CoronaVac, são dez doses para serem aplicadas em até oito horas. Já a AstraZeneca vem em um frasco de cinco doses com tempo útil de 48 horas. “Quanto maior a procura, menor a perda técnica. A gente só precisa que as pessoas tomem as vacinas”, completou a chefe do Núcleo da Rede de Frio.

Segunda dose

De acordo com a Secretaria de Saúde, aproximadamente 211 mil moradores do DF já poderiam ter recebido a segunda dose, mas ainda não compareceram a um local de vacinação. Para a pasta, uma das explicações para o atraso é o novo prazo para a segunda dose: 28 dias após a primeira aplicação, no caso da CoronaVac; e de 56 dias ou oito semanas para AstraZeneca ou Pfizer-BioNTech, não importa a data prevista no cartão.

Vale destacar que independente do atraso é indispensável a aplicação da segunda dose e a continuação do ciclo de imunização para garantir a eficácia produzida pelo ciclo vacinal.

Dose de reforço

Já a dose de reforço está disponível para todo o público acima de 18 anos que tenha completado o ciclo vacinal há, pelo menos, cinco meses. Conforme as recomendações do Programa Nacional de Imunização (PNI), para a dose de reforço é preferencialmente aplicado o imunizante da Pfizer-BioNTech, porém há disponibilidade de CoronaVac para pessoas com relatório médico com essa indicação.

Quanto à vacina da Janssen, o Distrito Federal receberá, ainda, novas unidades do Ministério da Saúde para aplicação, como dose de reforço, para a população que recebeu esse imunizante. Vale ressaltar que não se trata de uma segunda dose e, sim, do reforço vacinal.

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Saúde, até a última terça-feira (7), foram aplicadas 2.291.515 primeiras doses, 1961.331 de D2, 58.362 de dose única e 9.727 doses adicionais. Sendo assim, o DF já atingiu 91,14 % da população com a aplicação da D1 e 78,33% com a segunda dose de imunizante.

Com informações da SES-DF