sábado, abril 13, 2024
CidadesDesta semana

Caseb: da origem à revitalização

Foto: Paulo H. Carvalho – Agência Brasília e Arquivo

A primeira escola do Plano Piloto tem em sua trajetória muitos alunos notáveis, premiações e um triste episódio que termina em revitalização

A história de uma das mais icônicas instituições públicas de ensino do Distrito Federal é cheia de capítulos especiais, a começar da sua origem. O Centro de Ensino Fundamental (CEF) Caseb, na 909 Sul foi a primeira escola da região administrativa de Brasília. Inaugurada em 19 de maio de 1960 pelo então presidente da República Juscelino Kubistchek.

foto: Arquivo Público do Distrito Federal

Mas antes disso, em 1959, foi criada a Comissão de Administração do Sistema Educacional de Brasília (Caseb), vinculada ao Ministério da Educação, de onde a escola foi originada.

O grupo ficou responsável pela administração do sistema educacional do Distrito Federal, até então sob a responsabilidade da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). A Caseb, nessa época, passou a cuidar do levantamento da situação educacional na região e das condições para construções de novas escolas. Além da escola Caseb, a comissão também projetou a Escola Parque 308 Sul.

Por ter sido a primeira escola pública na região o Plano Piloto, o Caseb recebeu, de maneira igualitária, filhos de senadores, deputados, secretários de Estado, candangos. Entre seus alunos mais famosos estão: Edward Cattete Pinheiro, Galvão Bueno, Lucélia Santos, Luiz Estevão, Nelson Piquet, Paulo Octávio, Pedro Parente, Renan Calheiros e Mayara Noronha Rocha.

Já em tempos mais recentes, o Caseb tem acumulado diversos prêmios. Por conta do projeto Matemática é Para Todos (MEPT), desenvolvido no contraturno escolar, 16 alunos e dois professores da unidade de ensino foram premiados na Olimpíada Brasileira da Matemática em 2019.

Porém, nem só de só de fatos positivos a história da escola é composta. Em 5 de agosto de 2019, um incêndio atingiu o arquivo do centro de ensino. No local eram guardados documentos históricos e registros da época da construção de Brasília. Por ter acontecido fora do horário das aulas, ninguém ficou ferido.

Revitalização

Após dois anos do incêndio, o CEF Caseb passou por uma grande renovação promovida por uma parceria entre o poder público e a iniciativa privada. Ideia foi da primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social Mayara Noronha Rocha.

Mayara é ex-aluna da escola e convenceu outras autoridades e empresários da cidade, que também estudaram lá, a participarem da ação voluntária em parceria com o GDF, para recuperar o prédio.

No dia 2 de outubro a revitalização foi entregue para comunidade escolar e contou com a presença do governador Ibaneis Rocha, da secretária Mayara Rocha, de apoiadores e participantes da iniciativa e representantes do governo.

“O Caseb faz parte da minha história. Aqui vivenciei alguns dos melhores momentos da minha pré-adolescência”, afirmou a primeira-dama.

Divisão de tarefas

Na reforma da escola, os projetos de paisagismo e de jardinagem foram executados pela Novacap. Coube à Secretaria de Educação a estruturação dos prédios, com a troca de piso, a recuperação e construção de novas calçadas; e as reformas da caixa d’água e da grade que cerca o colégio. Além disso, foi feita a manutenção na parte elétrica com a troca de fiação e a instalação de novos quadros de energia – tudo isso ao custo de R$ 500 mil.

De acordo com o governo, novas intervenções ainda serão feitas. A reforma das quadras esportivas está em processo de licitação pela Secretaria de Esporte e Lazer. Na área externa, a Administração do Plano Piloto segue reformando a calçada.

A revitalização contou com a participação do ex-vice-governador e também ex-aluno do Caseb, Paulo Octavio. O empresário doou 1,2 mil litros de tinta para pintura de todo o espaço. “O que estamos vendo é a escola que é uma marca na cidade. Aqui aprendi muito, moldei minha personalidade e fui muito feliz”, declarou ele.

Estrutura

O CEF Caseb tem dez blocos, sendo um administrativo, com 20 salas de aula; um laboratório de informática; um auditório; um ginásio poliesportivo; uma sala de leitura; um refeitório; quatro quadras poliesportivas; um galpão multiuso; um bloco de laboratórios; e um pátio multiuso coberto.