terça-feira, abril 23, 2024
Desta semanaEconomia

Comércio espera alta nas vendas para Dia dos Namorados

Foto: Freepik

A preferência de compras é por roupas, cosméticosperfumescalçados e acessórios

Pesquisa do Instituto Fecomércio-DF indica que 64,5% dos consumidores pretendem presentear a pessoa amada no Dia dos Namorados. Entre os lojistas, o otimismo registrado nas últimas datas comemorativas se repete. Segundo o IF, 64,5% dos comerciantes acreditam que as vendas serão maiores que no ano passado. Com isso, a expectativa de crescimento nas vendas é de 22,7% em comparação com 2022.

O valor do ticket médio registrado entre os consumidores também cresceu. Passou de R$ 211,23 para R$ 227,98, com reajuste de 7,9% na comparação com a última edição da data.

Segundo o presidente do Sistema Fecomércio-DF, José Aparecido Freire, os sucessivos resultados positivos das pesquisas de intenção de compra mostram que a economia do Distrito Federal está aquecida. “Lojistas e consumidores otimistas com as vendas para o Dias dos Namorados colocam a economia distrital em novo patamar e consolida a retomada da economia”, analisa.

No lugar dos tradicionais buquês e caixas de chocolates, a preferência dos brasilienses aponta as roupas/acessórios (25,8%); cosméticos/perfumes (18,4%) e calçados/acessórios (17,6%) como os itens mais visados para presentear. Na sequência, flores (10,3%); eletrônicos (7,6%); chocolates/trufas (6,4%); café da manhã (5,6%); produtos culturais (4,4%) e livros (3,9%).

Os shoppings (29,8%) e lojas de rua/bairro (27,3%) serão os meios mais utilizados para as compras. Em menor proporção, consumidores também comprarão através da internet (18,7%) ou visitarão feiras (12,4%); supermercados (5,6%) e lojas de departamento (6,2%) para escolher o presente. 

O gênero masculino é o mais disposto a gastar na data, atingindo R$ 272,28 de ticket médio. À distância de quase R$ 100, o ticket médio feminino será de R$176,35. 

As compras no crédito serão mais comuns, com 42,8%; seguidas por débito (23,3%) e dinheiro (17,4%), os dois últimos somando 40,7%. Ou seja, quase metade prefere quitar as dívidas imediatamente. Além disso, 16,5% devem usar o Pix/Transferência como forma de pagamento.

O preço alto preocupa 50% dos clientes, que afirmaram ser motivo para não indicar algum estabelecimento. Em contrapartida, 52% recomendarão as lojas que oferecerem promoções/descontos. 

Dos 35,5% que não tem intenção de presentear, 53,9% apontam que não têm a quem dar lembranças durante a data. Na sequência, o desemprego (21,1%) e dificuldade financeira (20%) estão entre as principais justificativas.