terça-feira, junho 25, 2024
CidadesDesta semana

Ocupação do Centrad será gradativa, diz governo

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Retomada da posse do empreendimento e análises técnicas permitirão transferências de órgãos

Quase dez anos já se passaram da desde a inauguração do empreendimento, inacabado, que abrigará o Centro Administrativo do Distrito Federal (Centrad). No último dia do governo de Agnelo Queiroz, o complexo foi entregue se as mínimas condições de ocupação pelos órgãos do governo local.

De lá para cá foram anos de inoperância de governos, imbróglios com o consórcio responsável pela construção que não cumpriu contrato e batalhas judiciais. 

Promessa de campanha de Ibaneis Rocha, a ocupação do Centrad não foi concluída na primeira gestão do governo que encerrou com a anulação da parceria público-privada (PPP) e a retomada da posse do imóvel com o aval da Justiça. Agora, no início de seu segundo mandato, o governador e sua equipe de governo trabalham para começar a transferência dos órgãos do GDF para o complexo administrativo.

No dia 31 de janeiro, uma comitiva liderada pelo secretário de Governo, José Humberto Pires, e o assessor especial do Gabinete de Governo, Marcelo Galvão, além de diversos secretários de Estado, visitou as instalações do complexo para analisar a situação da estrutura.

Segundo Galvão, a ideia é fazer uma perícia rápida para identificar o que falta e assim realizar licitação para que uma empresa possa terminar os 5% que faltam para a conclusão da obra. “Com a anulação da PPP, a posse já está conosco e podemos avançar. É preciso realizar as poucas obras que restam e pensar numa eventual ocupação do prédio”, explicou Marcelo.

Avaliação

O secretário José Humberto Pires afirmou que a partir da visita será realizada uma análise técnica da obra para a definição das etapas que serão seguidas pelo governo. 

Segundo Humberto, a questão estrutural, de um modo geral, está muito boa. A conservação, que se refere a limpeza, também é simples. Mas a questão das instalações é a que mais precisa de atenção. “Precisamos que tudo esteja funcionando como elevadores, iluminação, eletricidade necessária para fazer tudo funcionar, ar condicionado, essas são questões fundamentais que fazem parte das instalações”, explica do secretário.

De acordo com o governo, órgãos como a Novacap e a Secretaria de Obras vão elaborar laudos técnicos do complexo administrativo. 

Em nota, a Secretaria de Obras explicou que “por enquanto, o planejamento prevê que a coordenação da reforma e as instalações internas sejam acompanhadas pela Novacap. Já a implantação da infraestrutura externa será executada pela pasta”. 

Ocupação

Ainda sem datas previstas, o governo explica que a intenção é ocupar o complexo de forma gradativa e contínua por conta do tamanho da estrutura. “Esse espaço é grande como uma cidade. São 16 prédios, um centro de convenções aqui dentro. Dessa forma, a ocupação desses prédios só tem como ser feita gradativamente. Assim como as obras de recuperação”, ressaltou José Humberto. A conclusão da área destinada a um shopping, que dá acesso ao prédio, é uma das intervenções que precisa ser finalizada.

Além disso, será necessária uma readequação viária para facilitar o acesso ao Centrad. Para isso, o secretário de Obras, Luciano Carvalho, explicou que uma via paralela à Avenida Elmo Serejo também será construída, com alças de acesso para facilitar a chegada de servidores e da população até o local.