domingo, junho 23, 2024
Desta semanaMundo melhor

Pacientes do HMIB recebem visita de Pet Terapeutas

Foto: Isabela Graton/Agência Saúde-DF

Cachorros promovem leveza e acolhimento para pequenos pacientes e seus acompanhantes

A Terapia Assistida por Animais (TAA), popularmente conhecida como Pet Terapia, é um tratamento auxiliar para diversos tipos de doenças. Estudos comprovam que a presença de animais desencadeia bem-estar, saúde emocional, física, social e cognitiva em pacientes psiquiátricos, hospitalizados e idosos. Nesse tratamento, o animal é o principal agente da terapia, que funciona como ponte de ligação entre o tratamento e o paciente.

Nessa essa perspectiva, o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) ganhou a visita de dois terapeutas que fazeram sucesso na ala pediátrica da unidade. Thor e Jorge, cães da raça Malamute do Alasca, visitaram crianças na semana passada e transformaram o ambiente de pequenos que estavam internados e seus acompanhantes.

Thor e Jorge são cães de suporte emocional, credenciados para atuar na Terapia Assistida por Animais (TAA). Isso significa que eles visitam hospitais e ajudam a trazer bem-estar aos pacientes, que podem ser adultos, crianças ou idosos.

“O Thor é o primeiro TAA do Brasil, ele é um cão que trabalha com crianças especiais com síndrome de down e autismo no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Nesse projeto, procuramos sempre estar de acordo com as leis da vigilância sanitária e também com as necessidades dos pacientes”, explicou Walter Isaac, tutor do cachorro.

A visita de cães de suporte emocional trouxe mais leveza e diversão para as crianças internadas no Hmib, assim como para os familiares que as acompanham. “É tão intenso estar no hospital, né? Ainda mais com criança. Então achei ótimo porque eles trazem uma certa paz, uma certa tranquilidade”, comentou Miriam dos Anjos, mãe da paciente Ane Caroline, de 7 anos.

Terapia Assistida por Animais

A Terapia Assistida por Animais (TAA) é recomendada em uma variedade de situações, incluindo o tratamento de pessoas acamadas, hospitalizadas, com deficiências físicas ou intelectuais, bem como pacientes com doenças psiquiátricas.

O estímulo sensorial desencadeado pelo contato com os animais promove a liberação de substâncias como como dopamina, ocitocina e endorfina. Além disso, reduz os níveis de cortisol, o hormônio do estresse. Estudos ainda apontam que o contato com animais é capaz de baixar níveis de colesterol, pressão sanguínea e estresse.

O tutor do Thor explica que “os cães conseguem trazer para eles (pacientes) um conforto, o que ajuda muito na parte emocional do tratamento”.