domingo, junho 23, 2024
CidadesDesta semana

População pode acompanhar volume de chuvas pela internet

Foto: DFN

Ferramenta tem como objetivo orientar as ações de órgãos de conservação das cidades

Os dias 15 e 16 de abril foram de susto, estragos e prejuízos em alguns pontos do Distrito Federal. Ceilândia, Taguatinga e Águas Claras foram atingidas por fortes tempestades no fim de semana. Alagamentos, queda de fios de energia, asfaltos arrancados, carros estragados e casas inundadas foram registrados.

Com os castigos trazidos pelas chuvas, equipes do governo foram acionadas imediatamente para mapear as áreas com pontos críticos e sinalizar os locais para evitar acidentes. 

Todas as movimentações pluviométricas da capital são acompanhadas pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), que por meio do Sistema de Monitoramento de Chuvas Urbanas Intensas (SIMCURB) que monitora todos os registros de chuvas as áreas urbanas.

A agência explica que a rede do SIMCURB WEB é composta por 62 estações instaladas em prédios públicos e privados localizados nas 33 regiões administrativas (RA´s) do DF. Os pluviógrafos, responsáveis por medir, de 5 em 5 minutos, dados referentes à chuva, são operados pela Adasa e instituições parceiras do projeto – Universidade de Brasília (UnB), Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) e Instituto Brasília Ambiental (Ibram).

Por conta dos episódios constantes de alagamentos em áreas específicas e dos riscos enfrentados pela população, a Adasa disponibilizou em seu site , nesta quarta-feira (19), ferramenta para que qualquer cidadão acompanhe o Sistema de Monitoramento de Chuvas Urbanas Intensas (Simcurb).  

A intenção é que as informações geradas pelo sistema orientem as ações da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) otimizando a qualidade dos serviços prestados, resultando em mais eficácia contra os prejuízos causados pelas chuvas em pontos específicos.

De acordo com a Adasa, a análise dos dados coletados contribuirá para identificação de problemas como o desempenho inadequado dos sistemas de drenagem de águas pluviais urbanas, precariedades na manutenção da rede e alagamentos decorrentes de chuvas acima da média.

A longo prazo, com o registro de séries históricas e com o aprofundamento dos conhecimentos sobre o regime pluviométrico em áreas urbanas, o sistema poderá ser utilizado para apoiar órgãos do governo, como a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros, na transmissão de informes e alertas para a população sobre áreas de risco de alagamentos e inundações.

Chuvas intensas

Passado pouco mais da metade do mês abril, as chuvas dos últimos dias já quase atingiram a média prevista para o mês. Até o último domingo (16), o Inmet já tinha registrado um total de 124.8mm de chuva em todo o Distrito Federal, enquanto o previsto para todo o mês de abril é de 145.2mm.

De acordo com o levantamento, o Paranoá concentra o maior volume de chuvas. O registro foi de 160.8 mm, ou seja, 111%, 11% a mais que o previsto. No Gama, o total foi de 133.4mm. Em Águas Emendadas, 56.9mm; e na estação de Brazlândia, 55.4mm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *