terça-feira, junho 25, 2024
Desta semanaEconomia

Preço da gasolina pode cair, diz Petrobras

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Presidente da companhia afirmou que haverá ainda investimentos na infraestrutura para transporte, escoamento e distribuição do gás natural

Na última quarta-feira (22), a Petrobras anunciou queda no preço médio de venda de diesel A para as distribuidoras. O valor passou de R$ 4,02 para R$ 3,84 por litro, uma redução de R$ 0,18 por litro do combustível. Medida provocou condutores de veículos movidos a gasolina a questionar se o mesmo acontecerá com o combustível.

Após participação em evento no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (23), o presidente da Petrobras disse que a companhia pode diminuir o preço da gasolina. “Sempre que a gente puder vender mais barato para o consumidor brasileiro, a gente vai fazê-lo”, disse Jean Paul Prates

O presidente destacou que a empresa adota o Preço de Paridade de Importação (PPI) como uma referência e não como um “dogma”.

“Não aceito o dogma do PPI. Aceito a referência internacional. Trabalhamos com a referência internacional com o preço de mercado de acordo com o nosso cliente. [A] cliente bom você dá desconto. É a política de empresa”, explicou.

Além disso, o presidente da estatal acrescentou que o melhor preço para a empresa é o preço próximo da referência internacional. “Não quer dizer que eu tenho que andar exatamente em cima da linha do preço do importador. É bem diferente. Não quer dizer que eu vá me afastar, me isolar e virar uma bolha no mundo. Temos que seguir a referência internacional. Se lá fora o preço do petróleo diminuiu e reduziu em insumos para refinarias, eu tenho que corresponder para o consumidor final. Mas eu não preciso estar necessariamente amarrado ao preço do importador, que é meu principal concorrente. Paridade de importação não é o preço que a Petrobras deve praticar”.

Prates ainda ressaltou que a companhia vai investir na infraestrutura para transporte, escoamento e distribuição do gás natural, que ele apontou como entraves para o mercado do gás.

Com informações da Agência Brasil