quinta-feira, abril 18, 2024
Desta semanaSaúde

Saúde vai contratar serviços privados para mutirão de cirurgias

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Investimentos serão na ordem de R$ 3,8 milhões e a expectativa é realizar mais de 3 mil procedimentos

A fila de espera para cirurgias de baixa complexidade é grande no Distrito Federal. Antônia Alves está aguardando para fazer uma histerectomia na rede pública de saúde há mais de dois anos. Embora a paciente apresente agravamento de sintomas e ter intensificado quadro de abalos psicológicos por conta da doença, Secretaria de Saúde, até o memento da publicação desta matéria ainda não havia se pronunciado quanto a previsão de realização do procedimento cirúrgico da paciente.

Enivane Aparecida Correia também aguarda cirurgia. Diagnosticada com hérnia há mais de três anos, a paciente já sofre com as consequências da enfermidade. Segundo ela, o inchaço do abdômen e as dores a prejudicam nas atividades do dia a dia como cuidar da casa e trabalhar.

Assim como Antônia e Eniviane, milhares de outros pacientes aguardam cirurgias eletivas na rede pública. Com a pandemia e a suspensão temporária desse tipo de procedimento, a demanda aumentou fazendo com que a fila de espera aumentasse ainda mais.

Embora os hospitais públicos tenham retomado a realização de procedimentos cirúrgicos de baixa complexidade, a quantidade de pacientes aguardando atendimento ainda é alta. Por isso, a Secretaria de Saúde anunciou que está contratando serviços da rede privada para diminuir a demanda de cirurgias eletivas de baixa complexidade.

O edital com o regulamento da licitação foi publicado na terça-feira (5) em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal. A expectativa da pasta é realizar 3.233 procedimentos – operações de hérnia, vesícula e histerectomia – no período determinado de 120 dias. O investimento total será de R$ 3,8 milhões.

A proposta foi aprovada pelo Conselho de Saúde do Distrito Federal. “Conseguimos que o controle social, que é o nosso balizador das políticas públicas, entendesse a necessidade da complementariedade nessa situação pontual das cirurgias eletivas”, afirma a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.

As inscrições vão durar 30 dias e as empresas privadas de saúde interessadas em participar do mutirão de cirurgias vão passar por uma avaliação técnica, administrativa e jurídica.

A secretaria aponta que além das cirurgias, as empresas contratadas deverão realizar consultas pré e pós-operatórias e fornecer equipamentos e insumos, e todos os demais procedimentos necessários. Os valores serão pagos de acordo com a tabela do Sistema Único de Saúde (SUS).

Todos os pacientes a serem beneficiados são da lista de espera por cirurgias eletivas. “São usuários que já são acompanhados pela rede pública e serão encaminhados de acordo com as prioridades do Complexo Regulador do Distrito Federal”, explica o secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Luciano Agrizzi.

Com informações da Secretaria de Saúde