quinta-feira, abril 18, 2024
Desta semanaJustiça

Alerta para golpe do leilão falso

Imagem: Reprodução/Internet

Especialista em leilões orienta sobre formas de se proteger de golpes e crimes no mercado

Uma das consequências da pandemia do coronavírus foi o aumento nas compras pela internet e consequentemente, nos leilões on-line. No entanto, apesar das vantagens, a internet pode deixar algumas pessoas mais suscetíveis a golpes. 

De acordo com a Associação de Leiloeiros Oficiais do Estado de São Paulo (Aleoesp), desde 2019, foram identificados mais de 2 mil sites de leilões falsos: só em 2021, o número de endereços falsos foram de 1063, mais do que o dobro de 2020, que ficou na casa dos 510. 

Carros, mobiliários, eletrodomésticos e até vagas de garagem podem ser adquiridos por lances em leilões. Devido à alta taxa de juros da economia e aos altos índices de endividamento, a modalidade que permite arrematar bens até pela metade do preço cresce cada vez mais, mas é preciso ter cuidado com os anúncios e saber como agir e se proteger no caso de golpes. 

“O primeiro passo para saber se um leilão é verdadeiro, é observar o site em que se dá o lance. Apesar disso, um leilão falso não é motivo para você não estar no mercado de leilões”, explica Isabella Peracchi, uma das principais referências no mercado brasileiro de leilões e a maior influenciadora especializada no ramo, que também compartilha algumas dicas para quem quer entrar no mercado sem cair em fraudes e crimes virtuais.

“Depois de saber quem é o leiloeiro, confira se ele está devidamente cadastrado na junta comercial do estado e não bata o martelo antes de ligar para o telefone oficial cadastrado na junta para conferir”, alerta a especialista. Todo estado tem uma junta comercial e seus contatos podem ser facilmente encontrados na internet.

Conhecimento salva

“Eu costumo dizer que lidar com leilão é simples, mas não é fácil. A partir do momento que você aprende o método, as estratégias certas e a hora certa de agir, tudo fica muito mais simples.”, diz a especialista, que dá algumas dicas para iniciantes não caírem em ciladas nos leilões.

Primeiro é preciso controlar a ansiedade. Pesquisas apontam que 60% dos brasileiros compram por impulso, e no mercado de leilões não é diferente. “É preciso saber a hora certa de comprar”, diz Isabella.

Depois faça um bom planejamento. É preciso ter tudo definido e planejado antes de tomar qualquer atitude nos leilões.

Em terceiro lugar tome cuidado com o medo. Ao entrar no mercado, o medo pode tomar conta. “A melhor forma de fazer com que ele acabe é estudar e adquirir conhecimento sobre os leilões”, completa Isabella.