terça-feira, junho 25, 2024
CidadesDesta semana

Antigos uniformes se transformam em “lixitos”

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

Depósitos para veículos são distribuídos durante ações promovidas pelo Serviço de Limpeza Urbana

Sustentabilidade se transformou um termo de ordem para toda organização humana. Com os grandes impactos decorrentes das produções materiais no mundo, medidas sustentáveis são indispensáveis para garantir a sobrevivência dos recursos naturais do planeta, ao mesmo tempo que permite aos seres humanos e sociedades soluções ecológicas de desenvolvimento.

Neste sentido, o governo do Distrito Federal, por meio do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU) desenvolveu, no ano passado, projeto que reutiliza os uniformes antigos dos garis da empresa na confecção de depósitos de pano para descarte de lixo em automóveis, chamados “lixitos”.

De acordo com o SLU, entre 2022 e 2023 já foram feitos 1.800 lixitos para distribuição. O item é confeccionado na Fábrica Social, centro de capacitação e qualificação profissional gerenciado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedet), e distribuído para a população em ações do Serviço de Limpeza Urbana.

“A ideia de reaproveitar os antigos uniformes ocorreu a partir da necessidade de encontrar um destino sustentável. A reciclagem também visa evitar possíveis abusos e crimes que possam ocorrer caso os uniformes antigos caiam em mãos erradas, aproveitando a credibilidade associada aos garis”, conta o presidente do SLU, Silvio Vieira.

Para o presidente, o projeto combina aspectos sociais e ambientais ao reforçar o propósito de sustentabilidade do órgão e evitar o desperdício do material e do descarte inadequado de lixo ao conscientizar a população para que não elimine resíduos nas ruas da cidade. Além disso, a iniciativa beneficia pessoas em situação de vulnerabilidade que são capacitadas na Fábrica Social.

A distribuição dos “lixitos” ocorre em ações de educação ambiental do SLU. A mais recente mobilização foi durante o festival Capital Moto Week, na Granja do Torto. Foram 10 dias de evento com público estimado de 800 mil pessoas.

Fábrica Social

A iniciativa é voltada para qualificação profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade social com cursos de corte e costura e serigrafia. Durante as aulas, os alunos confeccionam uniformes para órgãos do GDF.

A cada novo ciclo de capacitação lançado são selecionados candidatos a partir de 16 anos residentes do Distrito Federal com cadastro atualizado no Cadastro Único de Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), renda familiar per capita de até R$ 200 e que não tenham participado de processos de capacitação e qualificação no programa. Pessoas com deficiência também estão aptas à seleção.

Com informações do SLU