Autorizada construção do Hospital Oncológico de Brasília

Foto: Divulgação Novacap

Unidade hospitalar será a primeira do Distrito Federal a oferecer tratamento especializado para pacientes com câncer pela rede pública. Prazo para construção é de até três anos

Foi assinada nesta quarta-feira (2), pelo governador Ibaneis Rocha, a ordem de serviço que autoriza o início das obras de construção do primeiro centro especializado no tratamento de câncer do Distrito Federal.
O Hospital Oncológico de Brasília será erguido em um terreno de 40 mil metros quadrados no Setor de Áreas Isoladas Norte (Sain), onde já funciona o Hospital da Criança, ao lado do Setor Noroeste.
A construção da unidade de saúde está sob responsabilidade da Endeal Engenharia e Construções Ltda., que venceu o processo licitatório aberto pela Secretaria de Saúde. Segundo o governo, o empreendimento vai gerar cerca de 5 mil empregos e terá prazo para conclusão das obras de até três anos.
Já o projeto arquitetônico foi elaborado por uma empresa contratada pela Diretoria de Edificações da Companhia da Nova Capital (Novacap).
De acordo com o GDF, o hospital contará com equipamentos de tecnologia avançada, consultórios multidisciplinares, alas para tratamento de quimioterapia, radioterapia, medicina nuclear, endoscopia e salas de cirurgia conjugadas, além de exames de imagem como mamografia, ultrassom e raio-X. Terá ainda 172 leitos disponíveis, sendo 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 152 de internação.
Os investimentos serão de R$ 99.965.265,47, recursos liberados pelo Ministério da Saúde, por meio da Caixa Econômica Federal. As projeções da Secretaria de Saúde apontam que o Hospital Oncológico de Brasília terá capacidade de realizar até 9 mil atendimentos por ano.
Levantamento do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta que o Distrito Federal registra, anualmente, cerca de 5,5 mil casos novos da doença em adultos. Atualmente, a rede pública de saúde atende a esses pacientes nos hospitais de Base (HBB), Regional de Taguatinga (HRT) e Universitário de Brasília (HUB). Já os casos infantis são direcionados para o Hospital da Criança.

Reforço necessário

Para a chefe da Assessoria de Políticas de Prevenção ao Câncer da Secretaria de Saúde, Érica Batista, o reforço é indispensável.
“São mais de 5 mil casos novos todo ano em Brasília, sem contar os pacientes que vêm de outros estados. E, no câncer, o tratamento precoce é essencial para que ele não se torne mais agressivo”, explica.
A especialista lembra ainda a importância de se ter um hospital de referência para diagnosticar e tratar a doença. “Será uma unidade com especialidade cirúrgica e oncológica, que vai favorecer o diagnóstico mais rápido”, afirma. “Além disso, vamos centralizar o tratamento lá. Hoje, o paciente muitas vezes tem de fazer quimioterapia em um local e radioterapia no outro. Teremos um centro de excelência no DF”, conclui Érica.