domingo, junho 23, 2024
Desta semanaEconomia

Bandeiras tarifárias de energia mais baratas

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Redução varia de 37% a 20 % dependendo da bandeira

Foi divulgado ontem, terça-feira (5), o resultado da Consulta Pública feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) sobre a redução dos valores de referência das Bandeiras Tarifárias para o ciclo 2023/2024.

Redução foi aprovada pela Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Foram 49 contribuições de 30 pessoas físicas e jurídicas. De acordo com a agência, 60 % das contribuições foram feitas por consumidores e conselhos especializados.

Segundo a Aneel, a redução nas tarifas foi possível graças ao cenário hidrológico favorável, à grande oferta de energia renovável no país e aos alívios no preço dos combustíveis fósseis no mercado internacional.

A resolução determina que as reduções sejam feitas da seguinte maneira: a bandeira amarela de quase 37%, sai dos atuais R$29,89/MWh para R$18,85/MWh. Já para a bandeira vermelha, patamar 1, a proposta reduz de R$65/MWh para R$44,63/MWh (queda de 31,3%) e, o patamar 2, de R$97,95/MWh para R$78,77/MWh (redução de quase 20%).

O mecanismo das bandeiras tarifárias, criado em 2015, tem o objetivo de propiciar transparência ao custo real da energia. 

Atualmente está em vigor a bandeira verde (sem custo adicional). Essa tarifa está vigência desde abril de 2022 por conta das condições favoráveis de oferta de energia e a expectativa é que ela permaneça até o fim deste ano. Dessa maneira empresas têm seus custos reduzidos e o orçamento das famílias brasileiras ganham um fôlego.