Calçadas novas viram estacionamento

Foto: Ascom/Sec. Obras

Denúncias são feitas por comerciantes, pedestres e por órgãos do governo que afirmam também receberem queixas de infrações

Uma das avenidas mais icônicas e importantes do Distrito Federal ficou despercebida pelo poder público por muitos anos. A W3 Sul, durante muito tempo, foi alvo de reclamações da comunidade que transita pela região, de comerciantes que viram seus estabelecimentos perderem clientes e moradores que reivindicaram revitalização do setor que já oferecia riscos à segurança da população.

Diante da situação, o Governo do Distrito Federal, por meio de suas secretarias e órgãos de atuação, elaborou e concluiu, no final do ano passado, projeto de revitalização de toda a avenida W3 Sul.

Foram investidos R$ 21,7 milhões na ampliação e reforma das calçadas, criação e manutenção de estacionamentos, troca de iluminação pública, paisagismo entre outras ações.

Porém, passados apenas três meses da entrega da revitalização das calçadas da área comercial da via, o que se percebe é a falta de respeito de condutores de veículos. Basta uma rápida volta pelas quadras 500 é possível flagrar carros estacionados em cima das calçadas destinadas para a circulação de pedestres.

Atitude já tem causado transtornos e acidentes a pedestres que transitam pela região. Semanas atrás, uma jovem se acidentou ao cair em uma caixa, recém instalada, na calçada em frente de lojas da W3 Sul. A mulher teve ferimentos na perna e no rosto.

Questionada sobre a situação, a Secretaria de Obras, responsável pelas intervenções, informou que todo o piso das calçadas da avenida W3 Sul foi reformado, inclusive implantados pisos táteis para facilitar o trânsito de deficientes. Além disso, as caixas que protegem tubulações e fios também foram trocadas por novas.

Segundo a pasta, as tampas das caixas instaladas ao logo das calçadas não foram projetadas para suportar peso de veículos. “A tampa que cedeu, ocasionando o acidente com a pedestre, foi projetada para impedir acidentes com pedestres e não para suportar peso de veículos. A Secretaria de Obras tem recebido várias denúncias a respeito de motoristas que têm usado as calçadas como estacionamento”, relata o órgão.

A comunidade reclama da falta de educação dos motoristas. Ednéia Rodrigues, recepcionista, já flagrou veículo estacionado em calçada na avenida. “Passando de ônibus pela W3, vi um carro estacionado na frente de uma loja. Parecia que estava carregando o carro com alguns produtos. Aquela não era a quadra que eu ia descer, mas fiquei imaginando se uma pessoa cadeirante ou com muletas tivesse que passar por ali, era claro que não iria conseguir. O carro era grande e estava com a porta aberta. Quem fosse passar por ali, teria de ir para o canto da pista, um perigo”, conta a pedestre.

Nosso colunista, Luiz Solano, também já presenciou episódios onde veículos usaram as calçadas como estacionamento. “A reclamação da população é legítima. Passo pela W3 Sul quase que diariamente e constantemente flagro carros estacionados nas calçadas, seja para carga ou descarga de mercadorias ou por mera negligência. Estão acabando com a reforma do piso que foi entregue recentemente e que era um pedido antigo da população e dos comerciantes. Daqui a pouco vai estar tudo quebrado de novo”, conta.

Infração

O Artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), inciso VIII, prevê que estacionar o veículo no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público é infração grave que resulta em multa (R$ 195,23), pontuação na carteira (5 pontos) e até mesmo a remoção do veículo.

De acordo com o Departamento de Trânsito do Distrito Federal, “as equipes de fiscalização de trânsito realizam, diariamente, operações para coibir estacionamento irregular em todo o DF, principalmente em locais de grande fluxo de veículos e pedestres, como é o caso no Setor Hospitalar, Setor de Rádio e TV e W3 Sul, onde há muita demanda da população, por meio do telefone 190”, afirmou o órgão em nota à redação.

Segundo o Detran, somente em janeiro e fevereiro deste ano, foram autuados 27.198 condutores por estacionar de forma irregular no DF.

Os dados são referentes as infrações registradas pelo Detran-DF, DER-DF e PMDF. E contemplam todas as infrações previstas no artigo 181 do CTB, que traz as diversas situações de estacionamento irregular dispostas em 20 incisos.

“Além da fiscalização, o Detran realiza ações educativas, algumas inclusive em parceria com os Bombeiros, a fim de conscientizar a população quanto aos prejuízos e transtornos causados pelo estacionamento irregular, colocando em risco a circulação de ciclistas e pedestres”, ressalta o órgão.

Revitalização

As obras de recuperação da W3 Sul foram financiadas pela Agência de Desenvolvimento (Terracap), e tiveram a participação de vários órgãos do governo.

A Secretaria de Obras executou os serviços. A Seduh, por sua vez, elaborou o projeto de melhoria da avenida, atendendo a demanda de um perfil amplo de usuários da quadra, de pedestres a condutores de automóveis.

Sobre os estacionamentos, a Seduh planejou a organização das vagas por meio da colocação de piso intertravado e a demarcação das vagas, inclusive para motos, idosos, pessoas com deficiência e nas áreas de carga e descarga.

A Novacap colaborou com obras complementares, como a reforma de pavimentos, o plantio de grama, a poda de árvores, entre outras. Já o Detran cuidou de toda a sinalização, essencial aos pedestres e condutores.

A CEB substituiu toda a iluminação pública antiga por lâmpadas de LED. Foram trocados 141 postes e 636 luminárias convencionais por LED.