quinta-feira, abril 18, 2024
Desta semanaMundo melhor

Curso de cosméticos artesanais transforma vidas

Foto: Divulgação/SMDF

Mulheres em situação de vulnerabilidade têm sido assistidas por projeto que visa a capacitação profissional, resgata o autocuidado feminino, oferece apoio psicológico e incentiva o empreendedorismo

A violência contra mulheres é um tema em constante debate e mesmo com a difusão de informações, ferramentas de apoio e mecanismos de prevenção, muitas mulheres ainda são vítimas de agressões em suas mais variadas formas.

Uma das principais causas que levam uma mulher a permanecer em um relacionamento agressivo e abusivo é a dependência financeira. Por terem se dedicado à casa, aos filhos e ao companheiro, muitas mulheres não têm capacitação profissional para enfrentarem situação de opressão e garantirem seu próprio sustento.

Pelo Distrito Federal, estão espalhadas algumas iniciativas que têm como objetivo qualificar mulheres para que elas se tornem independentes e garantam sua segurança e de seus filhos. Uma dessas ações é o projeto Jardim das Margaridas, idealizado pelo Instituto Social do Distrito Federal (ISDF), fruto de uma emenda parlamentar do deputado distrital Fábio Felix e executado pela Secretaria da Mulher.

Recentemente, o projeto ganhou um reforço que tem motivado mulheres a lutarem por mudanças em suas realidades. Desde o último dia 7 de fevereiro, 100 mulheres começaram curso gratuito de fabricação de cosméticos artesanais.

O professor é o empreendedor Odilson Medrado, que por conta de uma dermatite severa que o acomete desde a infância foi impedido de utilizar sabonetes industrializados, levando-o a pesquisar e desenvolver produtos de higiene pessoal mais saudáveis para seu tipo de pele.

Dessa condição, ele passou a produzir os próprios produtos de cuidados pessoais. O que começou como um passatempo tornou-se negócio de família. Com a ajuda da esposa, Maristela Holanda, Odilson está ensinando a 100 mulheres do Distrito Federal as técnicas de saboaria artesanal.

“Sempre tivemos vontade de levar esse curso para o público mais vulnerável. É muito gratificante poder contribuir para a qualidade de vida das pessoas ou até introduzir uma possibilidade de empreendedorismo para aquelas que quiserem”, explica a professora Maristela.

Durante o curso, que começou no dia 7 de fevereiro, as participantes aprenderão a produzir sabonetes líquidos e em barra, além de xampus e hidratantes corporais, feitos à base de ingredientes naturais. Ao final, todas ganharão um certificado de curso profissionalizante e mais uma oportunidade de geração de renda.

De acordo com Secretaria da Mulher, foram feitas 174 inscrições em apenas 4 dias. Nesta edição foram contempladas 100 mulheres, divididas em quatro turmas simultâneas. O curso tem duração de seis meses, com oito aulas quinzenais e presenciais, às quartas-feiras.

Segundo a pasta, de início, serão realizadas três aulas teóricas e cinco aulas práticas, mas essa divisão pode ser adaptada de acordo com as necessidades das alunas. Ao final, elas terão uma palestra sobre estratégias de venda e divulgação dos produtos.

Apoio psicossocial

Além da capacitação, intercaladas com as aulas, as mulheres acompanham palestras e rodas de conversa sobre direitos femininos, violência de gênero e onde procurar ajuda em casos de violência doméstica. Também são realizados atendimentos psicossociais individuais e encaminhamentos aos órgãos de competência, caso necessário.

Fabíolla Delfino, psicóloga e psicanalista do Instituto Social do Distrito Federal, explica a importância desse suporte. “Queremos que essas mulheres possam ser multiplicadoras de conhecimento e que suas famílias possam ser transformadas”, reforça.

A secretária da Mulher, Ericka Filippelli, comemorou a iniciativa. “São 100 mulheres, 100 histórias e 100 famílias transformadas. O impacto que elas podem gerar em suas comunidades é imensurável”.

Segundo ela o projeto é mais uma porta de entrada para oportunidades de geração de renda e para fortalecer o empoderamento feminino.