terça-feira, junho 25, 2024
CidadesDesta semana

DF registra mais de 20 mil furtos de energia

Foto: Divulgação

Fiscalizações foram intensificadas em 2022 para coibir as fraudes no abastecimento 

Nem mesmo o aumento da fiscalização por parte de distribuidora inibiu o furto de energia elétrica no Distrito Federal. De acordo com a Neoenergia, foram registrados ao longo de 2022 mais de 20 mil fraudes em todo DF.

A quantidade de energia desviada – 138 GWh – é suficiente para abastecer todas as residências de 10 Regiões Administrativas (Ceilândia, Gama, Guará, Lago Sul, Lago Norte, Cruzeiro, Brazlândia, Candangolândia, Recanto das Emas e Riacho Fundo) por um mês inteiro.

De acordo com o gerente de Proteção da Receita da Neoenergia Brasília, Luiz Paulo Marinho, desde que a empresa assumiu a distribuição de energia da capital foram intensificadas as ações de fiscalização. 

“Nossa inteligência utiliza softwares associados a sensores, que medem o fluxo de energia elétrica na rede de distribuição, como também o perfil histórico de consumo do cliente. Com essa tecnologia é possível ser mais assertivo na localização das fraudes e desvios e, consequentemente, no combate ao furto de energia”, conta.

Segundo a Neoenergia, as regiões administrativas que mais apresentaram fraudes em 2022 foram Taguatinga (2.956), Ceilândia (2.783), Samambaia (2.074), Gama (1.348) e Planaltina (1.345).

O ano mal começou e as ações de fiscalização já deflagram mais um caso de grande desvio de energia. No mês passado, a operação “Massa Fresca” identificou uma padaria em Santa Maria  cujo furto de energia foi de 26.202 KWh, o equivalente ao abastecimento de 144 residências pelo período de 30 dias.

A equipe de fiscalização desligou o “gato” e regularizou o sistema de medição do estabelecimento. Todas as constatações de irregularidades, incluindo fotos foram enviadas à Polícia Civil para que as devidas providências sejam tomadas. A cobrança pela energia gasta de maneira ilegal será cobrada por meio de processo administrativo.

Alertas

Os “gatos de energia” representam riscos para a segurança de quem os realiza e da população. Além disso, as ligações irregulares prejudicam o fornecimento de energia da região, podendo causar graves problemas para a rede elétrica e ocasionar a interrupção do abastecimento.

Desviar energia elétrica é crime previsto no Código Penal Brasileiro. O artigo 155 determina a prisão de quem for pego furtando energia, resultando em pena de até oito anos de detenção.

Para a própria segurança, cidadãos que identificarem as ligações clandestinas podem fazer denúncias, de forma anônima, por meio do telefone 116.