quarta-feira, julho 24, 2024
Desta semanaSaúde

Identificando transtorno de ansiedade

foto: reprodução

Assim como o medo, a ansiedade tem o papel de preparar o individuo para enfrentar ou escapar do perigo, exercendo papel de preservação do ser humano.

Observamos que em alguns casos a ansiedade pode ser tão intensa que prejudica seu funcionamento causando sofrimento significativo na vida do indivíduo. Nesses casos, provavelmente já se transformou em patologia (doença).Segundo o DSM –V –  Manual Diagnóstico e Estatísticos de Transtornos Mentais, os transtornos de ansiedade apresentam características de medo e ansiedade excessiva e perturbações comportamentais.

Os sintomas podem ser divididos em:

Sintomas subjetivos, referente à percepção de sensações desconfortáveis como: angustia; inquietação; preocupações excessivas; medo ou pavor.

Sintomas físicos, referente às sensações corporais como: aperto no peito; palpitações; falta de ar; náuseas; cólica abdominal; transpiração excessiva; tontura; tremores, calafrios ou formigamentos.

Existem diversas causas que podem desencadear o transtorno de ansiedade, tais como: traumas, violência doméstica, estresse, genética, doenças físicas e até mesmo a depressão. É comum o paciente alternar entre quadros de ansiedade e quadros de depressão, pois uma condição pode gerar a outra.

Pesquisa realizada em 2020 pela Universidade Federal Rio Grande Sul- UFRGS, revela que 80% dos brasileiros tornaram-se mais ansiosos na pandemia ocasionara pelo novo coronavírus. A pesquisa ouviu 1996 pessoas, maiores de 18 anos no período de maio a julho de 2020.A ansiedade deve ser tratada com medicamentos (prescritos por psiquiatra), psicoterapia, alimentação saudável e atividade física. Todos contribuem para remissão ou controle dos sintomas.

Se identificou com os sintomas? Não hesite em procurar ajuda profissional.

Rita Rocha
Psicóloga
CRP 01/19406