Praça do Relógio passará por grande reforma

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Pedras portuguesas serão trocadas por concreto e piso podotátil. Canteiros, fonte, e espelho d’água também passarão por reforma

A Praça do Relógio, em Taguatinga, é um dos cartões postais da capital federal. Além disso, por ser área central da cidade, recebe milhares de pessoas diariamente que buscam produtos, serviços e acesso aos sistemas de transporte público.

Região foi projetada também para ser ponto de encontro para moradores das redondezas e local para uma pausa de descanso à sobra das árvores que cobrem praticamente toda a praça. Mas há anos, a área central de Taguatinga sofre com o abandono e falta de revitalização.

Quem passa diariamente pela Praça do Relógio reclama da falta de cuidados com o espaço público e o perigo que área representa para quem passa ou convive por lá.

“A praça é um local de grande circulação de pessoas. Idosos, deficientes, crianças fazem parte da nossa comunidade e todos têm enfrentado muitas dificuldades para andar por aqui. As pedras do calçamento estão soltas, paredes da fonte luminosa – que não funciona há muto tempo – estão desmoronando, os bancos da praça sofreram com a ação do tempo e de vândalos que tomaram conta do espaço”, reclama o morador da região, Fábio Vieira.

Em resposta a essa e outras demandas, o governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) anunciou que fará a revitalização total da Praça do Relógio.

Projeto prevê piso novo, um número maior de rampas de acesso, reforma da fonte, do espelho d´água e dos canteiros. As intervenções fazem parte de projeto complementar às obras do túnel da cidade.

De acordo com o diretor de Espaço Público e Qualificação Urbana da Seduh, Clécio Rezende, um dos principais pontos de transformação será o calçamento da praça. Segundo ele, as pedras portuguesas vão dar lugar a um piso de concreto moldado in loco. O pavimento que será implantado tem poucas irregularidades e permite fácil manutenção, o que significa mais segurança para os portadores de necessidades especiais.

“Vamos reaproveitar as pedras portuguesas nos locais de permanência, ou seja, nos espaços que ficam na sombra e oferecem mesas e bancos”, explica Rezende. “Ao longo do percurso de deslocamento, que leva à estação de metrô e aos pontos de ônibus, o piso será podotátil.”

Outros pontos que passarão por transformação, segundo a Sedhu, são os canteiros da praça. A pasta afirma que todos serão contornados por uma mureta com 45 cm de altura, que poderá ser usada como banco. Alguns pontos receberão encostos para aumentar o conforto.

Finalizada a fase de projeto da Praça do Relógio, a Secretaria de Obras fará uma estimativa orçamentária e começará o processo licitatório.

O administrador de Taguatinga, Ezequias Pereiras, conta que “a reforma da Praça do Relógio era um desejo antigo dos moradores. Nós da Administração Regional e o GDF sabíamos dessa necessidade. Com a construção do Túnel de Taguatinga foi possível viabilizar uma completa revitalização da Praça. Teremos um piso novo, de concreto, rampas de acessibilidade e realocação das pedras portuguesas. A Praça do Relógio e o Boulevard, que será construído no centro da cidade, darão mais segurança, lazer e oportunidade para a prática de esportes à população”, afirma Ezequias.

Passarela do Metrô

A liberação da passarela subterrânea que liga a Estação Praça do Relógio, do lado norte da Avenida Central, ao lado sul da via, é a próxima travessia a ser liberada dentro da grande obra de construção do Túnel de Taguatinga. A passagem foi demolida em março de 2021 e passou por uma reformulação com maior modernidade e acessibilidade.

Diferente da passagem anterior, que havia sido construída rente ao solo, a nova passarela está suspensa sobre a laje do túnel. A estrutura de concreto de ponta a ponta da travessia está pronta e o piso da rampa de acesso à saída sul já está concretado.

Para a liberação da passagem faltam os acabamentos e a conclusão das escavações, prevista para o início do próximo mês.

Os ajustes finais da passarela estão à cargo do Metrô-DF que já definiu os revestimentos que serão utilizados. Os azulejos serão no padrão metrô (azul, laranja e branco), concreto aparente com aplicação de verniz antipichação e pintura eletrostática branca nas peças em estrutura metálica.

Já o piso escolhido pela companhia será em granito cinza corumbá, com acabamento antiderrapante e forro metálico modular removível. De acordo com a assessoria do Metrô-DF, a escolha dos revestimentos a serem utilizados na passagem foi com base em projetos de arquitetura já aprovados.