quinta-feira, abril 18, 2024
CidadesDesta semana

Terminais recebem campanha contra a violência à mulher

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Informações e orientações estão expostas para que vítimas e testemunhas sejam encorajadas a denunciar qualquer tipo de violação contra a mulher

Os terminais de ônibus do Distrito Federal tornaram-se cenário de uma iniciativa marcante na luta contra a violência de gênero. A campanha “Mulher, Não se Cale!”, uma parceria entre a Secretaria da Mulher (SMDF) e o Instituto Inside Brasil, está disseminando informações e orientações cruciais para sensibilizar a população sobre a urgência de combater esse grave problema social.

Essa ação integra um conjunto de medidas do Governo do Distrito Federal (GDF) para enfrentar uma das maiores violações dos direitos humanos, afetando milhares de mulheres anualmente. A Lei Maria da Penha classifica a violência doméstica e familiar contra a mulher – seja física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral – como uma ameaça grave à saúde e dignidade das vítimas, podendo, em casos extremos, resultar em fatalidades.

A campanha “Mulher, Não se Cale!” tem como objetivo levar informação e conscientização às mulheres que transitam pelos terminais de ônibus, abrangendo desde a Rodoviária do Plano Piloto até os terminais do Setor O e Setor QNQ/QNR em Ceilândia. A iniciativa também alcança outras regiões do DF, como Brazlândia, Gama Central, Planaltina, Samambaia Sul e Norte, Sobradinho, Santa Maria Sul, Guará, Riacho Fundo e Riacho Fundo II. A campanha estende-se ainda às feiras de Planaltina, Guará e Vicente Pires, apresentando ações culturais para ampliar sua eficácia.

Mais do que encorajar as mulheres a não se calarem diante das violências, a campanha estimula terceiros a realizar denúncias anônimas. O número para denúncias é o 180, disponível 24 horas por dia, com ligação gratuita. Além disso, as mulheres podem buscar apoio em órgãos especializados, como delegacias da mulher, centros de referência e a Casa Abrigo.

A campanha “Mulher, Não se Cale!” conta com o apoio da Secretaria de Transporte e Mobilidade e se estenderá até o dia 3 de fevereiro de 2024. Durante esse período, serão realizadas diversas ações, incluindo a distribuição de materiais informativos, exposição de cartazes e banners, visando atingir um amplo público e conscientizar a sociedade sobre a importância dessa causa.

Casos

Desde o início do registro de casos de feminicídios no Distrito Federal, em 2015, nunca foram contabilizados tantos casos de crimes contra a vida de mulheres. Até o mês passado, 32 vítimas foram mortas no DF em 2023.

Quanto aos casos de violência doméstica, a capital, de janeiro a setembro deste ano, registrou 13.519 crimes contra mulheres de ordem física, moral/psicológica, patrimonial, sexual, entre outros.