terça-feira, junho 25, 2024
CidadesDesta semana

Transporte por app: segurança questionada

Foto: DFN

Relatos apontam situações de risco para usuários, mas sindicato afirma que avaliações são rigorosas

Quase que diariamente quem utiliza transporte por aplicativo tem uma história para contar sobre algum episódio de violência. Assédio, agressão verbal, agressão física e discussões são relatadas por passageiros.

Uma passageira que não quis se identificar, disse que pediu um transporte por aplicativo ao sair de uma festa no Lago Sul em direção a Taguatinga. Próximo à entrada da cidade de destino, o motorista começou a se insinuar para ela, e a assediá-la com palavras e expressões de baixo calão. Foi quando a passageira decidiu ligar para um amigo simulando que havia recebido a ligação, mantendo o amigo na linha até a chegada em casa. “Graças a Deus o motorista ficou intimidado e não tentou nada comigo. Tô com medo de usar o transporte por aplicativo”, disse a mulher.

Outro caso que chamou atenção nessa semana, foi o do motorista preso, acusado de estuprar uma passageira de 22 anos, durante uma corrida no Setor Sul do Gama. Além da jovem, há suspeita de mais vítimas. Contudo a vítima não acionou o motorista por aplicativo e sim por um grupo de rede social.

Diante de alguns relatos recebidos pelo DF Notícias, a Polícia civil do DF foi questionada sobre quantidade de ocorrências relativas à violência contra passageiros na capital nos anos de 2021 e 2022, até o mês de julho.

Segundo a PCDF, até o início do mês de julho deste ano, não havia registros de violência contra passageiros do transporte por aplicativo. Já em 2021, segundo a polícia, houve 3 estupros consumados e uma tentativa.

Avaliação

O presidente do presidente do Sindicato dos Motoristas Autônomos de Transportes Privado Individual por Aplicativos (Sindmaap-DF), Marcelo Chaves, disse ao DFN que para ser motorista de aplicativo, os candidatos são criteriosamente avaliados, independentemente da plataforma.

“O interessado em obter uma autorização para ser motorista de aplicativo passa por uma rigorosa análise. As empresas exigem que o motorista seja maior de 21 anos, não tenha antecedentes criminais ou não esteja envolvido em nenhum processo judicial. A Carteira de Habilitação precisa ter a observação EAR (que significa Exerce Atividade Remunerada). Além disso, o motorista também tem que realizar um teste psicológico aplicado pela empresa”, conta Chaves.

Questionado quanto a presença de apenados no transporte por aplicativo, Marcelo disse que já ouviu relato, mas que não há registros de ocorrência no sindicato. “Já ouvi falar que havia motorista usando tornozeleira, mas nunca chegou até nós fatos que comprovem o episódio. Além disso, temos o caso de uma pessoa que tenta entrar para uma plataforma e não consegue por ter envolvimento em ação judicial já cumprida com o pagamento de serviços”, revela o presidente da entidade da classe.

Cuidados

Há algumas medidas que passageiros podem adotar para trazer mais segurança durante o uso do transporte por aplicativo, como: acompanhar o trajeto do carro, evitar esperar na rua, checar as informações do carro e do motorista, compartilhar a viagem com um amigo ou parente, ter cuidado ao aceitar balas e água no veículo, estar atento à rota e confirmar se a viagem foi finalizada corretamente.

Em caso de comportamento inadequado do motorista, o passageiro deve acionar o aplicativo e em casos mais graves, denunciar à polícia.