terça-feira, abril 23, 2024
Desta semanaSaúde

É possível prevenir câncer com alimentação e exercícios físicos?

Alimentos saudáveis, aliados à uma vida fisicamente ativa, potencializam os benefícios à saúde, principalmente nos aspectos físicos, psíquicos e sociais

O movimento é um comportamento presente no dia a dia das pessoas, mas os tempos atuais têm sido marcados pela redução dessa movimentação diária e pelo excesso de comportamento sedentário. Além disso, as escolhas alimentares menos saudáveis também têm caracterizado os tempos atuais: estamos desembalando cada vez mais e descascando cada vez menos. O reflexo disso é o aumento na incidência de diversas doenças, incluindo o câncer, e consequentemente a redução da qualidade de vida e do bem-estar da população em geral.

Especificamente sobre o câncer, já existem evidências que comprovam a relação entre os hábitos de vida e o desenvolvimento de tumores. Segundo Bruna Pitasi Arguelhes, Nutricionista e Analista Técnica de Políticas Sociais da área técnica de Alimentação, Nutrição, Atividade Física e Câncer da Coordenação de Prevenção e Vigilância (CONPREV) do Instituto Nacional de Câncer (INCA), estudos recentes estimam que entre 30% e 50% de todos os casos de câncer poderiam ser prevenidos com a adoção de estilos de vida mais saudáveis, evitando a exposição a agentes cancerígenos e tratando certas infecções e doenças crônicas, como a obesidade.

À exemplo disso, mais de 12 tipos de cânceres são associados à alimentação não saudável (alimentação pobre em frutas e hortaliças, consumo de carne vermelha em excesso, consumo de comidas processadas), ao consumo de bebidas alcoólicas, ao excesso de gordura corporal e à prática de atividade física insuficiente (inatividade física), além do excesso do comportamento sedentário, explica Bruna.

“Frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, sementes e nozes protegem contra o câncer, fortalecendo as defesas do corpo e ajudando o intestino a funcionar bem. Esses alimentos têm o poder de inibir a chegada de compostos cancerígenos às células, e de ‘consertar’ o DNA danificado quando a agressão já começou. Se a célula foi alterada e não for possível consertar o DNA, alguns compostos promovem a morte celular, interrompendo a multiplicação desordenada”, explica a nutricionista.

Somado a uma vida fisicamente ativa, os benefícios são potencializados, principalmente quando falamos da saúde, em seus aspectos físicos, psíquicos e sociais. A importância de ter um estilo de vida mais ativo, o qual impacta na redução do peso corporal, é devido ao fato que o excesso de gordura corporal provoca alterações hormonais e um estado inflamatório crônico, o que contribui para formação e progressão do câncer, conforme afirma a nutricionista. Como dito, a obesidade é uma das doenças crônicas capazes de favorecer o surgimento não só de tumores, mas de outras doenças crônicas, como a hipertensão e o diabetes.

Com informações do Ministério da Saúde

Ilustração: Ministério da Saúde