domingo, junho 23, 2024
Desta semanaEducação

Alunos criam robôs com habilidade de fala

Foto: Álvaro Henrique/SEEDF

A robótica é um processo de aprendizagem e também pode incentivar os estudantes a pensarem de forma criativa e prática, afirma educador

Com a orientação do professor e idealizador do projeto de robótica, Francenylson Luiz Dantas, os alunos dos Centro de Ensino Fundamental 405 e 113, do Recanto das Emas, já desenvolveram robôs para aplicação na vida real como hortas inteligentes, robôs humanoides e braços robóticos com diversas habilidades humanas. O último humanoide, assim como é chamado, possui habilidade de fala e recebe o comando através de um controle que os próprios estudantes produziram em sala de aula.

Para o professor, a robótica vai muito além de uma programação de robôs. “É um processo de aprendizagem e também de poder incentivar os nossos estudantes a pensarem de forma criativa, prática, empreendedora e eficiente a fim de resolver os problemas estudados em sala de aula. Além disso, podemos identificar o perfil de cada um deles e ajudá-los no interesse profissional”, explica Francenylson.

Ao praticarem atividades de montagem de robôs e sistemas automatizados, os mais de 100 estudantes que passam pela oficina não desenvolvem apenas aptidões no campo das ciências exatas, mas também estimulam habilidades de relacionamento e emocionais como empatia, trabalho em grupo, comprometimento e liderança. Uma das colaboradoras e aluna do CEF 405, Letícia Alves, de apenas 13 anos, explica a importância da realização do projeto. “Nós acabamos descobrindo habilidades e talentos que nem sabíamos que tínhamos. É muito legal poder fazer parte desse projeto e poder contar futuramente que ajudei e fiz parte do início das criações dos humanoides”, destaca.

Desde a época que a palavra robô foi usada pela primeira vez, na década de 20, o sistema automatizado tornou-se um campo de conhecimento que floresceu entre inventores, matemáticos, cientistas e até mesmo engenheiros. Para os jovens da rede de ensino, além de atrair a atenção e o interesse dos alunos para o tema da tecnologia, a robótica funciona como ferramenta educativa, melhora o desenvolvimento cognitivo dos alunos e o processo de aquisição do que é ensinado em sala de aula.

Formação

Com o objetivo de expandir o conhecimento, o professor proporciona a formação para os professores de toda a regional do Recanto das Emas, para que eles possam aplicar o projeto durante as aulas com os estudantes dos anos iniciais, finais e do ensino médio. “Com a montagem desses equipamentos, nós conseguimos trabalhar diversas matérias como física, matemática, ciências e até mesmo incentivar aqueles estudantes de ensino médio que pretendem fazer engenharia civil futuramente”, destaca Francenylson.

De acordo com a Coordenadora Regional do Recanto das Emas, Mariana Ayres, são envidados todos os esforços no sentido de dar o melhor apoio para que o maior número de estudantes e professores sejam atendidos. “Damos todo o incentivo pedagógico e também financeiro. Quando recebemos o PDAF, por exemplo, sempre separamos uma quantia para ajudar e também procuramos recursos parlamentares para auxiliar o projeto de robótica”, ressalta.

Campus Party

Os estudantes dos Centros de Ensino Fundamental 405 e 113, do Recanto das Emas, representaram a rede pública na quarta edição da Campus Party, que aconteceu em Brasília, em março deste ano. O evento de tecnologia, inovação e empreendedorismo contou com a exposição dos robôs criados pelos próprios alunos e apresentações para o público. Cerca de 100 mil pessoas visitaram os estandes que estavam disponíveis no Mané Garrincha.

Com informações da Secretaria de Educação